PT MS repudia ação violenta da PM do DF e do governo Temer

Para o presidente estadual do PTMS, Antonio Carlos Biffi, os movimentos mostraram a força do povo em Brasília contra as medidas do governo golpista que trarão prejuízos à população mais vulnerável nos próximos 20 anos.

 

REPÚDIO À PM DO GDF E AO GOVERNO TEMER

O Partido dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul vem a público repudiar a ação violenta da Polícia Militar do Governo do Distrito Federal contra os mais de 30 mil estudantes e trabalhadores que participaram da manifestação pacífica na Esplanada dos Ministérios e em frente ao Congresso Nacional em Brasília, nessa terça-feira, 29, contra a aprovação da PEC 55/2016, que vai congelar os investimentos públicos no país por 20 anos, e contra a Medida Provisória do ensino médio.

Relatos de diversos estudantes e representantes dos movimentos sociais de várias partes do Brasil, incluindo a caravana de nosso estado, dão conta de que a Polícia Militar foi violenta e os receberam com bala de borrachas, gás de pimenta e lacrimogênio no gramado do Congresso Nacional, palco das manifestações quando os parlamentares rejeitam ouvir o povo.

Ainda conforme depoimentos de participantes no protesto havia um grupo de cerca de 30 pessoas infiltradas no meio da manifestação com o único propósito de promover vandalismo e o enfrentamento aos policiais. No entanto, a PM, sob o comando do governador Rodrigo Rolembergue (PSB), aliado de Temer, em vez de agir localmente para inibir a ação desses radicais, usou a força e a violência indistintamente contra a massa, provocando ferimentos em dezenas de manifestantes.

Imagens mostram policiais imobilizando estudante e dando socos já com o jovem imobilizado, algo nunca visto nos últimos 13 anos em que o governo dos trabalhadores esteve no Palácio do Planalto. Onde estavam esses policiais quando os radicais invadiram a Câmara dos Deputados e pularam em cima da Mesa Diretora da Casa?

Não podemos aceitar que grupos radiciais anti-democráticos possam agir livremente com a conivência de parlamentares e das policiais Militar e Legislativa para deslegitimar a manifestação do povo contra o governo golpista de Michel Temer, que impõe medidas para promover o retrocesso e o atraso ao Brasil.

Vamos continuar lutando contra a perda de direitos da classe trabalhadora e o desmonte da educação pública, da saúde, da assistência social e da previdência em nosso país. A MP do ensino médio e a PEC 55 são medidas que prejudicarão a população mais vulnerável ao longo dos próximos 20 anos e as novas gerações no Brasil. Não vamos aceitar de braços cruzados a imposição de um governo ilegítimo que, chegou ao poder após um golpe parlamentar, montou uma quadrilha no Palácio do Planalto para se beneficiar e atender a elite financeira que mais lucra com o sofrimento do povo.

Não vamos aceitar a repressão. Fora Temer. Campo Grande (MS) 30 de novembro de 2016. Antonio Carlos Biffi Presidente do Diretório Estadual do PTMS .

 

Campo Grande (MS), 30 de novembro de 2016.

 

Antonio Carlos Biffi

Presidente  do Diretório Estadual do PTMS

 

Foto em destaque: internet